#todosnão

#todosnão

A primeira volta das eleições presidenciais do Brasil ocorrerá no próximo dia 7 de Outubro. Muito se decidirá sobre o futuro do 6º país mais populoso do mundo, que ocupa uma área equivalente a 96 vezes o território português, terra de grande vivacidade, cor e carnaval mas também de grandes desigualdades e assimetrias. O interior comparado com São Paulo e Rio de Janeiro; a riqueza de alguns (1% de milionários) comparada com os 50 milhões de Brasileiros que vivem abaixo do limiar de pobreza (menos de 5,5$ por dia); a inexistência de classe média; a corrupção instalada em todo o sistema político; o sentimento constante e incessante de insegurança nas ruas.

Tudo factores que levariam a que estas eleições fossem da maior importância para o futuro do país. Contudo, creio que este não sorrirá ao povo brasileiro. Por um lado temos o PT liderado pelo Haddad que tarda em conseguir a popularidade do seu antigo líder. Partido este que liderou o país de 2003 a 2016 com os resultados conhecidos de todos: fraco desenvolvimento económico e social, projetos megalómanos (mundial e jogos olímpicos) e a corrupção.

Em alternativa, o antigo militar Bolsonaro, candidato populista e em nada preparado para liderar o futuro do Brasil, pretendendo instalar um regime pouco democrático, pegando no combate à corrupção e no discurso antipetista como as suas maiores forças. As últimas sondagens mostram que Bolsonaro lidera a corrida (39% nas últimas sondagens) e pode até ganhar as eleições à 1ª Volta.

É notório que o aparecimento deste tipo de populismo está estritamente ligado com a fraca prestação dos últimos governos e toda a corrupção instalada no Brasil mas também com a campanha negativa que estão a realizar contra o candidato. Desde que começou as manifestações promovidas pelo movimento #elenao que o candidato Bolsonaro sobe nas intenções de voto, mesmo nos eleitores do sexo feminino ou nas classes sociais mais baixas. Eleição do Trump e/ou a vitória do Brexit mostram que a realização de campanhas pela negativa só reforça os candidatos alvo dessas mesmas críticas. Pelo andar da carruagem, assim será no próximo domingo.

O que vale é que já falta menos de 5 meses para o próximo carnaval.

2018-10-09T12:21:24+00:009 Outubro, 2018|