“Precisamos (…) que em cada português haja um soldado para vencer esta guerra e para construir um Portugal mais justo e mais próspero.” – Passos Coelho

Comecei por citar Passos Coelho, porque tenho nesta frase um lema de vida, que desde aquele Natal de 2012 me acompanha. Tenho 21 anos e posso dizer que comecei a “gritar” pelo PSD desde 2009, lembro me como se fosse hoje…daquela “massa laranja”, de homens e mulheres que se uniram em torno do PSD, que acreditaram ser possível recuperar o país depois de 4 anos de governo maioritário do PS, que levou o pais à bancarrota.

Entrei para a JSD com 14 anos, a idade permitida para militar numa juventude partidária, a 13 de Maio de 2013, e foi nesse ano que pela primeira vez entrei para a estrutura da Distrital Oeste, como Vogal da Comissão Política. Fiz parte das várias estruturas concelhias do meu município desde então, e acabei por me fazer militante do PSD aos 18 anos. Estudo na faculdade de Direito de Universidade de Lisboa, onde fiz parte do Conselho de Escola, Assembleia Representativa da Faculdade e onde participo ativamente na vida académica e associativa da Faculdade.

Quando recebi a indicação da JSD Oeste e do PSD de Arruda dos Vinhos, pensei seriamente se seria a altura certa para dar este passo, mas rapidamente me lembrei do Portugal de 2011, o estado em que a Nação Portuguesa foi deixada pelo PS, e rapidamente recordei os sacrifícios que tivemos de fazer para procurar dar a volta à difícil situação financeira. Percebi que a situação que estamos a viver é precisamente a mesma que nos transmitiram em 2009, com os mesmos protagonistas, mudando apenas o líder, e certamente que todos recordamos o trágico desfecho dessa amarga história, que se tornou num suplicio.

Acredito que os jovens que represento não merecem esse desfecho, foi por eles e por um Portugal mais justo e próspero que aceitei o convite, porque achei que a hora era a indicada para retribuir ao meu país a persistência, a coragem e a resiliência de todos os anos de dificuldade. Para mim é imprescindível lutar pelos jovens do Oeste, bem como de todos os Oestinos, procurando melhorar as suas condições de vida, desde uma solução justa e igualitária para o problema dos transportes, que rapidamente se tronou um suplicio para todos os jovens que se deslocam do Oeste para Lisboa, para efetuar os seus estudos, e que pagam muito mais que os residentes da Área Metropolitana, estando muitas vezes à mesma distância ou até mais perto da capital.

Urgente será também resolver o problema dos municípios que se tornaram dormitórios de Lisboa, e que não fornecem oferta habitacional a preços e qualidade razoável aos cidadãos, municípios que deixam de ano para ano de ter vida própria, sem nada para oferecer, principalmente aos jovens que iniciam a sua vida independente.

Uma outra preocupação é o Ensino Superior, que desde cedo é uma bandeira da JSD Oeste, procurar trazer Ensino Superior para o Oeste, para que os jovens da região possam ter mais oportunidades de frequentar o ensino superior, porque acredito que o ensino superior muda a vida de quem o frequenta, mas também a vida das regiões, das empresas, das famílias desses municípios onde se instala, promovendo o combate ao desemprego e às assimetrias regionais

São estas as principais ideias que norteiam a nossa batalha, e sabemos que não será fácil, mas os melhores definem-se pela dimensão dos desafios que enfrentam, e vos garanto que esta batalha é daquelas que dá gosto travar, por Portugal e pelos portugueses.

Conto convosco!

 

Bernardo Narciso

Candidato da JSD pelo Círculo Eleitoral de Lisboa