Entrevista a José Amável Borges, Presidente da JSD Distrital de Vila Real

//Entrevista a José Amável Borges, Presidente da JSD Distrital de Vila Real

Entrevista a José Amável Borges, Presidente da JSD Distrital de Vila Real

Sou o José Amável Borges, sou natural de Vila Pouca de Aguiar, tenho 29 anos, sou formado em Engenharia Mecânica pela Universidade de Coimbra. Exerço as funções de Engenheiro Mecânico numa empresa multinacional alemã.

 

Como tem sido a experiência de liderar a JSD Distrital de Vila Real?

Tem sido uma experiência muito gratificante, ter a oportunidade de liderar  uma equipa como a que me acompanha é um grande desafio. Uma equipa de pessoas extraordinárias que procuram debater e encontrar soluções para os jovens do nosso distrito de uma forma livre, séria e frontal.

 

Quais as prinicipais preocupações da JSD Distrital de Vila Real?

A JSD Distrital de Vila Real assume como a sua principal preocupação a representação e a defesa dos jovens do nosso distrito. Para tal, estamos a construir uma agenda política audaz de defesa e promoção das regiões do interior, capaz de dar voz às necessidades sentidas pelos jovens do nosso distrito.

Ao nível interno, estamos a dotar a JSD Distrital de Vila Real de uma nova dinâmica, tanto política como organizacional, através da abertura da nossa estrutura aos militantes de base e simpatizantes e da aposta na formação de quadros da JSD.

 

Quais as prioridades dos jovens do Distrito de Vila Real?

Os jovens do nosso distrito sentem-se especialmente afectados pela escassez de oportunidades de emprego e pelas dificuldades de fixação na região. A concentração de uma maior oferta de soluções de ensino superior no litoral, bem como das oportunidades de emprego, tem atirado os nossos jovens para uma situação de “migração interna forçada”, que se torna especialmente gravosa sobretudo quando são cada vez maiores as dificuldades de acesso a habitação e emancipação nas grandes cidades. A possibilidade dos mais jovens poderem fixar-se nas suas terras é hoje quase uma miragem.

 

Como é que a Juventude Social Democrata pode ajudar na fixação dos jovens no interior, após estes terem ido frequentar o ensino superior para outros distritos, nomeadamente no litoral?

A JSD não só pode, como deve, assumir uma postura combativa em relação às necessidades de pugnar por uma política de descentralização capaz de promover reformas estruturantes para o interior. Urge assumir descomprometida e descomplexadamente a causa do interior e a JSD deverá ser parte fundamental desse debate, assumindo esta causa, temos de conseguir juntar esforços para que haja uma política para o interior e não apenas medidas avulso como vemos hoje que pouco ou nada contribuem para resolver o problema.

 

Como é que a Juventude Social Democrata pode ajudar a melhorar a mobilidade?

A desertificação do interior na área da mobilidade é gritante, a única forma que as pessoas tem de se deslocar é o automóvel. Foi abandonada a ferrovia, os autocarros que circulam pelo nosso distrito são cada vez menos. Liderando a JSD o debate pela reabilitação do interior, a mobilidade será um dois eixos estratégicos para a resolução deste problema.

2018-11-21T10:31:15+00:0021 Novembro, 2018|