Marta Geraldes, sou natural de Torres Vedras e lidero atualmente a Juventude Social Democrata de Lisboa – Área Oeste. Fui presidente da JSD de Torres Vedras e íntegro a bancada do PSD na Assembleia Municipal de Torres Vedras. Sou economista e apaixonada pelo Oeste.

Como tem sido a experiência de liderar a JSD Oeste?

Tem sido desafiante. Como em todos os desafios que abraçamos na vida, este não foi exceção, tive de adaptar-me a novas responsabilidades e modos de atuar. Tive que aprender mais sobre o meu distrito, fazer mais quilómetros para ir ao encontro das diversas concelhias, lidar com novas pessoas, integrar novas estruturas. É uma experiência que enriquece em várias vertentes e que no fim do dia me deixa tranquila porque sei que dou o melhor juntamente com a minha equipa pelos jovens do Oeste.

Quais as prinicipais preocupações da JSD Oeste?

Transportes, Emprego e Habitação. Três preocupações muito presentes na vida dos Jovens do Oeste. O facto de pertencermos aos distrito de Lisboa proporciona vantagens e desvantagens. Ganhamos com o tudo o que a proximidade da Capital pode influenciar mas o facto de “existir tudo” em Lisboa faz com que não haja investimento da mesma forma na região Oeste. Os transportes são escassos em algumas concelhia se desajustados às necessidades dos jovens, educação só na capital, empregos qualificados não são criados no Oeste e habitação não acessível visto que os preços praticados em Lisboa encarecem o valor na região.

Quais as prioridades dos jovens da Área Oeste de Lisboa?

Mais e melhores transportes. Emprego qualificado. Independência financeira. Habitação acessível. Mais acesso a graus diferentes de ensino.

Qual é que julgas que deve ser o papel da Juventude Social Democrata na luta contra as alterações climáticas e na proteção ambiental?

Sem cair em exageros propagandistas devemos aproveitar o facto de toda a população estar mais alerta e disposta a discutir o assunto, mobilizar os jovens a alterar os hábitos de consumo, a diminuir o consumismo e realizar uma avaliação ambiental a todas as alterações ao nosso planeta. Mais que nunca, a nossa geração está preparada para enfrentar o tema, portanto é tempo de arregaçar as mangas, proteger o nosso país e mundo, dar valor ao nosso território e respeitar o normal funcionamento da agricultura, do clima e da água.

Na tua opinião, qual deve ser o papel dos jovens nas suas autarquias? E quais serão os maiores desafios que a Juventude Social Democrata irá encontrar nas Autárquicas 2021?

As autárquicas são as eleições pelas quais nutro mais interesse. São o coração da política. A política de proximidade interessada e com melhorias à vista de todos os cidadãos. É nas assembleias de freguesia e nas assembleias municipais onde os jovens podem dar os primeiros passos na intervenção pública. Os principais desafios que a JSD encontrará será conquistar jovens a intervir na politica da forma tradicional e convencer as comissões politicas a dar lugares elegíveis ao jovens nas listas mesmo sem experiência.