JSD coloca outdoor que conta há quantas semanas os computadores prometidos por Costa deviam ter chegado aos estudantes

No Dia Nacional do Estudante, 24 de março, a JSD voltou a recordar a promessa falhada do Primeiro-Ministro com a instalação no Marquês de Pombal de um contador das semanas que já passaram desde o início do ano letivo, altura em que António Costa tinha prometido que todos os alunos teriam acesso a computadores.

Esta quarta-feira, dia 24 de março, no Dia Nacional do Estudante, a Juventude Social Democrata inaugurou um outdoor na Rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa.

O objetivo foi recordar o Primeiro-Ministro, António Costa, sobre o tempo que já passou desde o início do ano letivo, altura em que os computadores deviam ter sido entregues a todos os alunos, segundo uma promessa do Primeiro-Ministro feita em abril de 2020.

Não é a primeira vez que a JSD recorda a promessa feita pelo Governo aos estudantes. Em setembro de 2020, a JSD já tinha questionado o Governo pela concretização da promessa. Desta vez, e após seis meses de ano letivo em que o Ensino à distância tem sido uma realidade, a JSD volta a confrontar o Governo sobre a entrega dos computadores a todos os alunos.

“Queremos que o Governo cumpra a promessa que fez aos alunos e aos pais. Este é mais um apelo à ação, em vez de continuarmos com propaganda e anúncios atrás de anúncios”, apela Alexandre Poço, Presidente da JSD.

No outdoor, a JSD colocou António Costa a segurar num computador portátil, no qual se contam as semanas que já passaram desde o início do atual ano letivo, 2020/2021.

As perguntas da JSD mantêm-se: quando é que o Primeiro-Ministro e o ministro da Educação conseguem prever a chegada dos computadores a todos os estudantes? Conseguem garantir a conclusão da distribuição ainda neste ano letivo?

A preocupação da JSD está relacionada com os milhares de alunos que ficaram sem ligação às aulas e às suas escolas por falta de equipamentos e por falta de acesso à internet. No último ano letivo e no atual, com a passagem do ensino à distância, devido à doença COVID-19, muitos alunos não conseguiram acompanhar o ensino por não terem um computador próprio para assistirem às aulas.

Outros artigos