A Juventude Social Democrata considera que o atraso na atribuição das bolsas da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) põe em causa os projetos de vida e a emancipação de quase quatro mil candidatos, a maioria jovens, e desafia o Governo a acelerar o processo de divulgação dos resultados finais e da contratualização, sob pena de promover, ainda mais, a precariedade científica.

No concurso nacional para atribuição de bolsas de doutoramento deste ano, apesar da polémica sobre o eventual atraso, os resultados não foram publicados no prazo de 90 dias úteis, que terminou a 3 de setembro, como determinam os normativos. E não foi sequer “feita uma nota informativa em tempo útil, avisando os candidatos desta prorrogação, que só souberam oficialmente no dia 7 de setembro”, acusa o Presidente da JSD, Alexandre Poço, apesar de a FCT, a 7 de Agosto, ter afirmado que iria “garantir o cumprimento normal dos prazos”.

Segundo Alexandre Poço, “numa situação tão dramática para o nosso país, em que diariamente somos confrontados com os números catastróficos do desemprego jovem e dificuldades na emancipação das novas gerações, exigia-se ao Governo maior elevação e responsabilidade na sua atuação”. Este facto “revela muito claramente a dificuldade que os organismos do Governo têm com o cumprimento de prazos, assim como no respeito dos factos que a própria enuncia”.

“António Costa, mais uma vez, prejudica milhares de jovens que têm as suas vidas em suspenso”. São 3797 os candidatos, que “por incompetência deste órgão, vêem as suas vidas adiadas, amarrados num limbo sufocante, sem saber quando e se poderão usufruir de financiamento para conduzir os seus estudos”, afirma a JSD.

A JSD repudia os atrasos, que “não são justificáveis em virtude da pandemia, visto que o prazo de divulgação dos resultados já tinha sido prorrogado por um mês, em função do mesmo na apresentação de candidaturas”. Recorde-se que Alexandre Poço defendeu, na sua moção no Congresso da JSD, a “equiparação das bolsas de investigação a contrato individual de trabalho a termo como investimento no brain gain nacional”.

Os jovens social democratas exigem ainda “a publicação urgente dos resultados das reuniões de todos os painéis científicos, responsáveis pela seriação das candidaturas apresentadas, não podendo desta resultar qualquer prejuízo para os candidatos, ou seja, que o número de bolsas atribuídas nunca seja inferior às 1350 anunciadas pela própria FCT”.