JSD exige explicações ao Ministro do Ensino Superior sobre a diminuição de número de bolsas

//JSD exige explicações ao Ministro do Ensino Superior sobre a diminuição de número de bolsas

JSD exige explicações ao Ministro do Ensino Superior sobre a diminuição de número de bolsas

A Juventude Social Democrata exige ao Ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor, explicações sobre a diminuição do número de bolsas atribuídas – menos 11 mil que no mesmo período de 2017 – e o atraso na atribuição, que está a deixar 60 mil alunos sem resposta ao seu pedido de atribuição de bolsa de estudo.

O Ministro e o governo devem explicar porque motivo existe uma diminuição em 30% do número de bolsas, prejudicando o acesso dos estudantes ao Ensino Superior, numa altura em que nos aproximamos do fim do 1º semestre”, pergunta a Presidente da JSD, Margarida Balseiro Lopes.

Os jovens sociais-democratas referem-se às informações divulgadas hoje pelo jornal Público, na qual é referido que, neste momento, o número de bolsas atribuídas no ensino superior está 30% abaixo do registado em igual período do ano passado, ou seja, menos 11.105 bolsas.

Os atrasos na atribuição também preocupam a JSD, que, segundo Margarida Balseiro Lopes, “é mais um episódio de um governo que é muito rápido a anunciar, mas lento a resolver os problemas dos estudantes”, afirma.

Segundo o mesmo diário, a quatro semanas para o final do ano, ainda há 60 mil alunos do ensino superior que aguardam uma resposta para saberem se terão direito a bolsa de estudo este ano.

Para a Presidente da JSD, “o governo comemora três anos de mandato em que a principal conquista passa pelo atraso sucessivo nos apoios sociais aos estudantes e na incapacidade de resolução dos problemas de financiamento das instituições”.

Nós exigimos uma resposta, os estudantes exigem, porque a diminuição do número de bolsas e os atrasos prejudicam ainda mais o acesso ao Ensino Superior, num momento em que estes já são penalizados pela ausência de resposta ao nível do alojamento e residências”, critica Margarida Balseiro Lopes.

A JSD tem vindo a criticar o governo pela ausência de respostas para o problema do alojamento estudantil, tendo em outubro colocado, simbolicamente, a sede do Partido Socialista a arrendar, numa iniciativa que “pretendeu demonstrar a vergonha que representa o facto de o Orçamento do Estado para 2019 não incluir quaisquer respostas nem verbas para dar resposta ao flagelo que afeta milhares de estudantes que, sobretudo nas grandes cidades do país, se deparam com preços pornográficos no acesso ao mercado de arrendamento e não têm vaga nas residências estudantis”, refere a Presidente da JSD, Margarida Balseiro Lopes.

2018-11-27T18:57:34+00:0027 Novembro, 2018|