O dia de quarta-feira começou com o debate entre Castanheira Neves e António Cluny sobre a composição dos Conselhos Superiores das Magistraturas. Castanheira Neves afirmou que “é sobretudo importante que nestes órgãos esteja a voz do povo”. António Cluny destacou que “num estado de direito discutir a autonomia do ministério público é uma discussão dogmática”.

Ainda durante a manhã os alunos assistiram ao Workshop sobre redes sociais com Diana Duarte, uma aula bastante dinâmica e prática, onde os alunos tiveram a oportunidade de debater e analisar diferentes exemplos de comunicação em meios digitais.

Durante a tarde, Carlos Moedas e Susana Sargento apresentaram aos alunos da Universidade de Verão o tema “A Ciência muda o nosso futuro?”, um debate sobre o impacto da ciência na evolução da sociedade com a análise de vários exemplos em diferentes áreas de intervenção.

O comissário europeu alertou que “através da ciência e da inovação podemos construir uma Europa melhor, de forma a dar resposta aos desafios globais”. Susana Sargento reforçou que “o retorno do investimento em ciência pode ser enorme, não só em financiamento, como também no nosso futuro como sociedade”.

O jantar-conferência deste terceiro dia da Universidade de Verão contou com a presença de Fernando Leal da Costa, que debateu com os alunos os maiores desafios existentes na definição de uma política de saúde para Portugal.  Na sua intervenção, Fernando Leal da Costa esclareceu que “Igualdade é imaginar que somos todos iguais, quando na realidade não somos, enquanto que Equidade (que é aquilo que verdadeiramente interessa em saúde), é garantir condições para que, apesar das diferenças, todos possam ter condições exatamente idênticas, nomeadamente, de acesso aos cuidados de saúde”, concluiu.