JSD acusa António Costa de falta de vergonha no IRS Jovem

A Juventude Social Democrata acusa António Costa de “falta de vergonha” a propósito das promessas que fez ontem relativamente ao programa IRS Jovem, prometendo agora o que o PS chumbou em novembro de 2020 para o OE2021.

Em novembro de 2020, aquando da discussão do Orçamento do Estado para 2021, a JSD propôs na Assembleia da República que o programa IRS Jovem fosse alargado de 3 para 5 anos e que o trabalho independente (categoria B) fosse abrangido por este programa. A proposta da JSD foi chumbada com o voto contra do Partido Socialista.

Para a JSD, as declarações de António Costa no Congresso do Partido Socialista, “revelam falta de vergonha, quando há uns meses o PS chumbou na Assembleia da República o que agora António Costa vem propor em mais um exercício de propaganda”, afirma Alexandre Poço, Presidente da JSD.

As palavras de António Costa já dizem muito pouco aos jovens, e são situações como esta – em que vem propor, o que há uns meses chumbou – que confirmam o que para vimos dizer há muito: as novas gerações para este Governo são utilizadas para efeitos de mera propaganda”, critica Alexandre Poço.

Para a JSD, “estas alterações ao IRS Jovem podiam já estar em vigor este ano e a beneficiar diretamente milhares de jovens, pelo que o Primeiro-Ministro e o PS têm de explicar o motivo pelo qual chumbaram em novembro do ano passado o que agora anunciam com tanta pompa e circunstância. António Costa vem plagiar uma proposta da JSD que há uns meses chumbou”, diz Alexandre Poço

No encerramento do Congresso do PS, António Costa prometeu “quanto ao IRS Jovem, vamos assegurar o automatismo da sua aplicação, vamos alargá-lo para que cubra também os rendimentos do trabalho independente e vamos finalmente alargar de três para cinco anos”.

Outros artigos