Ao aceitar o desafio de representar a JSD Distrital de Castelo Branco na lista de candidatos a Deputados à Assembleia da República abracei o desafio de uma geração.

Uma geração que viu os seus pais e avós retirarem da terra o seu sustento e que não mais pode calar a voz de um (considerado) Interior que tem sido abandonado à sua sorte e sufocado por interesses económicos desleais.

Uma geração que teima em não arredar pé da sua terra, apostando no empreendedorismo e na Educação de Excelência como alavancas fundamentais para levar a sua Região mais além. E que mesmo sendo considerada a mais bem preparada, se vê empurrada para outras paragens, deixando para trás o sonho de retribuir às gerações anteriores todo o bem que colheu.

Uma Beira Baixa com um alto potencial sócio-económico de desenvolvimento pela sua centralidade e pela qualidade de vida que pode proporcionar face às zonas metropolitanas.

Um território que se estende da Serra da Estrela ao Pinhal Interior Sul, cheio de tradição, de cultura e de produtos endógenos. Onde o turismo pode e deve crescer ainda mais e o pulmão de Portugal – que consecutivamente tem sido abandonado – deve ser protegido e potenciado.

Um Distrito que paga das portagens mais caras do país e que também é automaticamente excluído de importantes medidas como os passes sociais grátis já que a rede de transportes públicos, mais do que deficitária, é praticamente inexistente.

O desafio que abracei não é só meu: é de todos os Jovens que querem contribuir para um maior equilíbrio entre o Interior e o Litoral. Pela solidariedade intergeracional que deverá proteger quem tanto já deu ao nosso país e também apoiar quem quer marcar a diferença agora e no futuro.

 

Márcia Nunes

Candidata da JSD pelo Círculo Eleitoral de Castelo Branco